quinta-feira, 1 de março de 2012

Silêncio nosso...

Os silêncios são sempre considerados como algo constrangedor, como falta de diálogo, falta de cumplicidade.
Mas eu falo de outros silêncios: os dos amantes, pois esses são outros.
Tão carregados de palavras e sons com significados imperceptíveis a qualquer outra pessoa que não quem entra nesse surdo e imenso diálogo.
Diálogos que falam de um mar de sensações, de sentimentos. Por vezes turbilhão de palavras de amor que rasam no sentir do corpo, da pele, dos lábios, por vezes calmaria suave de brisa de Verão no mais fundo da alma.
Os silêncios de quem ama são um mundo infinito de palavras não proferidas, mas ditas num olhar, num toque, num abraço.
E como falam os abraços dos amantes!
São fortes, intensos e de um constante Olá/Adeus. Um até logo que não se espera, que não se deseja, que não quer sentir e, muito menos, tornar real com o som dos nossos receios.
Mas não é dos silêncios dos abraços que quero falar. É do nosso silêncio.
Sim, esse. O que nos mergulha nesta incerteza de querer e não saber ou de saber e não querer, que nos invade no mais profundo âmago do nosso ser.
Silêncios de certas incertezas, de todas as afirmações proferidas em momentos em que o silêncio é a nossa pele molhada deixando transparecer, numa pauta mágica que só nós conseguimos ler, ouvir, sentir, todo o amor que nos faz aqui estar, juntos neste imenso e vasto amar de silêncios.
Esses que nos ficam gravados na ponta dos dedos, nos lábios sedentos, no corpo esfomeado e que vamos ouvindo nos dias em que os outros, os dos comuns mortais sentem, se apodera de nós.
E vamos revivendo, dia após dia, os silêncios da nossa entrega, até que de novo possamos fazer novos silêncios, silêncios de amantes.
E eu, eu quero me inundes desse teu (nosso) silêncio para sempre.
01/03/2012

5 comentários:

  1. Há silencios que se fazem, muitas vezes sem saber porquê, outras vezes queremos dizer tudo e não temos como fazê-lo.
    Eu faria do silêncio minha testemunha, se fosse para garantir que inundaria, tal como tu queres, tu sonhas e desejas que seja... para sempre!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vulcano, Vulcano...
      Deixas-me sem palavras.

      Beijo(te)

      Eliminar
  2. escreves sempre muito bem...

    bj doce

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada SinneR.
      Pelas palavras e pela visita.

      Beijo(te) de volta.

      Eliminar
  3. Tiraste-me todas as palavras da boca.....

    ResponderEliminar