segunda-feira, 21 de março de 2016

Ele(s) IV


Traz na alma o sabor da incerteza: será a pessoa certa?
E esta pergunta funciona em ambos os sentidos, para ambos os lados, para cada um deles. Ela será o que ele espera e ele será tudo o que ela deseja.
E ela deseja tão pouco... Alguém que a aceite pelo que é, sem condenar antes de tentar perceber o que foi e o porquê de ter feito. De ter dado determinados passos que nem sempre foram os certos. Mas muitas vezes também não foram errados. Foram o que foi possível ser, o que conseguiu fazer, dar e receber. Sim, porque também se negou a receber. Várias vezes e por não acreditar, por duvidar, de novo dela e dos outros.
Mas é isso que faz com que seja o que é. Mas será que é o que ele quer?
Não há certezas e as dúvidas pairam no seu pensamento e condicionam o que vai mostrar, de como se vai mostrar e até onde se vai deixar levar.
Tem de aprender a viver um dia de cada vez, de hora a hora, cada minuto como único e sem tentar prever o que não consegue.


Não pensa se vai dar certo ou errado, se vale a pena pois apenas sabe que é o que quer. Neste momento é o que deseja e o que mais anseia é voltar a vê-la, mesmo que esteja ali, frente a si já lhe sente a falta e já deseja. Aos seus olhos cor de mar, às suas faces rosadas que coram a um singelo elogio. Agrada-lhe a inocência que ela ainda transporta no olhar. Agrada-lhe o sorriso franco e doce e as gargalhadas pulsantes de vida de uma situação qualquer que lhe conta.
Gosta da forma como ela se move nos tacões e a forma como a saia se cola ao corpo, às suas curvas delineadas e roliças. Gosta do decote que o deixa a imaginar como será o desapertar lento e espectante de cada botão da blusa. Imagina os seus lábios rosa e que sabor terão.
Imagina onde poderá levá-la dali para fora sem parecer demasiado atrevido, mas quer olhá-la, quer ouvi-la e voltar a sentir o corpo a desejar sem mais distrações. Quer ser todo dela.
E tocar-lhe com desejo. E abraçá-la protegendo-a. E é estranho esta mescla de sentires.
Mas basta-lhe querer estar com ela e tudo o resto será, sem dúvida, o que ela quiser que seja.


21.Mar.2016

sexta-feira, 11 de março de 2016

Desejo. Quero.



Desejo
Que o teu toque desperte
Os sentidos adormecidos
Em longas horas de espera.

Desejo
O teu beijo nesta boca
Que te anseia,
Neste corpo que se entrega,
Nesta pele que se arrepia.

Quero
O calor que de ti emana,
O teu cheiro em mim espalhado,
As marcas do teu me amar,
Na minha carne,
Gravadas.

Quero
Que a tua língua me explore
Recantos perdidos no corpo,
Que as tuas mãos deslizem
E os teus dedos,
Sábios,
Frenéticos dedilhem
Até que a minha face,
De prazer,
Core.

Quero
Este corpo de novo a estremecer
De imenso, intenso prazer,
Quero
Que me faças de novo tua,
Me possuas,
Me leves à loucura
De te ter em mim,
De a ti e ao teu desejo
Me entregar,
Sem limites ou receios,
De por completo
Te pertencer.


11.Mar.2016